segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Recordações....






















Ela sentia-se sufocar no marasmo daquele dia..
O calor era insuportavel,
Sentou-se displicente numa poltrona,
e ficou a observar a tarde que caia..
gotinhas de suor na pele macia...
uma brisa morna,
balançou suavemente as cortinas delicadas..
Tantos pensamentos!...
Perguntas sem respostas...
Um vazio imenso em seu coração..
inquietação e ansiedade a angustiavam..
Ela se perguntava o porque de se sentir assim.
De
repente, como se fora atingida por um raio.
tudo veio a tona,
o coração disparou a respiração ficou ofegante,
Ele se foi!..Não voltará!... Nunca mais!...
Se conteve para não gritar de dor..
flashs do adeus passaram por sua mente..
a despedida, o rosto amado que a olhava frio,
e sua imagem desaparecendo na rua..
As lagrimas escorreram por seu rosto...
a saudade torna-se insuportavel..
Onde lera que é tão bom morrer de amor
e continuar vivendo?
Que mentira! ela vivera de amor
e estava morrendo de dor..
Recostou-se de novo e outra vez
aquela indiferença fria tomou conta de si..
Voltou a olhar o nada..
Estava tudo igual..
nada mudara...
Só havia o vazio!...
Mais nada..

Maria Bonfá

20 comentários:

Chá das Cinco disse...

Nossa Maria
vejo que neste poema a tua saudade é escaldante.
Eu entendo que valeu a pena mesmo que tenha acabado, o que vale é a intensidade do sentimento.
Um beijo

Everson Russo disse...

Que lindo, sentimental, vazio todos nós temos, todos alimentamos sonhos , desejos e lembranças com as coisas que nos rodeiam, tanto em pensamentos quanto em real...beijos e um belo dia.

Majoli disse...

Mergulho sempre nesse mar, e nele vale a pena se afogar pois fico entregue a cada novo poetizar.

És especial minha querida.

Beijos com carinho.

Depois dê uma passadinha no rabiscos, tem um presente pra você.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Maria!
Venho da Ma Jolie mergulhar no seu lindo Mar de Sonhos
Convite à Poesia
Beijos
Tudo de Bom
Renata

Tudo o que eu sinto disse...

Bom dia, Maria. Vim através da indicação de Majoli, de quem gosto muito e adorei tudo o que li aqui. Nesse poema, por exemplo, vim lendo e sentindo a mágoa existente nesse momento de consciência; de lembrança, mas infeliz ou felizmente, o círculo só se fecha quando ambos estão do lado de dentro dele, ou, do de fora. No caso de estar um de cada lado, demora um pouco e dói. Mas uma coisa é certa: passa! Um beijo grande e muito prazer.

Cris (www.tudooqueeusinto.zip.net)

José disse...

Olá Maria.

Já à bocadinho passei por aqui, mas não consegui comentár, e venho do blog desta mulher maravilhosa que é a Majoli.
Já estou seguindo o seu blog e voltarei sempre para ver a sua bonita poesia.

Um abraço, José

Geisa Machado disse...

Excelente poema Maria!
Trocar a frase "morrer de amor e continuar vivendo" por "viver de amor e morrer de dor" é melhor ainda, porque dá ênfase ao "viver de amor". Associar amor com dor e sofrimento é da época dos cavaleiros da Távola Redonda.
Nos dias de hoje é necessário entender que toda separação é dolorida, mas se acabou é porque chegou ao fim. E dar lugar a vida e ao novo que está por vir.
Obrigada pela visita querida!
Bjussss

meus instantes e momentos disse...

que bom ver vc em meu blog. É bom ter vc por lá...
Apareça sempre.
Maurizio

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Oi, Maria!
Gosto de vir aqui
Voltarei
Obrigada pela visita, Querida!
Beijos
Renata

Daniel Costa disse...

Maria de Bonfá

Adorei o poema, daria um fado na alma lisboeta, um fado belíssimo, pareceu-me no ritmo. Reli!

Beijos,
Daniel

Elzenir disse...

Boa tarde Maria.Fico feliz em fazer parte deste cantinho. Lindas poesias de muita sensibilidade. Bom final de semana.bjs

Mariana disse...

Lindo e divino como sempre.
é sempre bom passar aqui.
Deixa no meu blog os teus pedidos para o Papai Noel.
bom fim d semana
bjs

Manu disse...

Olá Maria!

Recordar é sinal de vitalidade
há marcas que são cicatrizes
a memória é a chave da saudade
saudade sim! De dias felizes

Bom Domingo. Beijos.

Elaine Barnes disse...

Nada como abrir um espaço para o "novo" Como me disseram certa vez:" A felicidade não entra em portas fechadas" Amiga fiquei muito feliz de ter enfrentado seu 'gasparzinho" rs.. Viu! É assim, fugir não dá, o negócio é enfrentar e apagar o luminoso da testa com "aquele ocupado sempre aceso" rs...Espero que tenha gostado do seu link na árvore bloguealógica e dos selos. Minha amiga Lidia do cor de rosa choque me ajudou em + de 70% dessa data tão importante pra mim. Obrigada por tudo, por me dar a oportunidade de partilhar sua vida. bjão e abraço cheio de ternura

Everson Russo disse...

Um beijo pra te desejar uma linda semana e agradecer todo o carinho de suas visitas....

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Puxa,Maria Bonfá.Me senti no meu sofá(vulgo divã) agora.Sabe aquele dia de chuva caindo na vidraça?Parabéns.Beijos

Pelos caminhos da vida. disse...

Gostei de passar por aqui, voltarei.

beijooo.

Luciana Klopper disse...

Tem meme natalino pra vc no blog!
http://olhosepensamentos.blogspot.com/2009/12/dois-memes-natalinos.html
Saudades!

Beatriz Prestes disse...

Minha querida.....

Tua poesia se instalou com perfeição na minha alma!
Falou por meus anseios!
Lindíssimo!
Beijo carinhoso
Bea

Paulo Tamburro disse...

ESTOU LHE CONVIDANDO PARA CONHECER MEU BLOG DE HUMOR:

HUMOR EM TEXTO.

É DE GRAÇA!!!

UM ABRAÇÃO CARIOCA.