terça-feira, 9 de novembro de 2010

Faz de conta...























Lá estava ela de novo, na sua posição preferida.
Toda enrodilhada como se fosse um feto.
Sempre gostara de ficar assim, cabia em qualquer poltrona.
Ela mesma se perguntava o porquê daquela preferência!
E vivia a imaginar!
Como seria voltar ao útero de sua mãe?
Viveria lá aconchegada, protegida.
Nada ia lhe atingir. Sorriu de seu pensamento.
Que idéia absurda.
Começou a se lembrar de seu tempo de criança.
Fora tão feliz!
Recordava-se sempre com saudade
do seu mundo de faz de conta .
Sempre fora solitária,
estava sempre sozinha a correr pelos barrancos dos rios.
Ou sentada num galho de arvore bem alto.
Um dia era uma grande bailarina.
Em outro era uma linda fada...
Mas o que mais gostava de ser,
Era a princesa esperando seu príncipe chegar.
A gata borralheira que iria ao baile com o príncipe dançar.
Sonhava tanto que seu mundo de faz de conta
misturou-se a ponto de não mais distinguir,
qual era o real.
Mas a menina cresceu, e
descobriu que ela era somente a abóbora
que levaria a princesa ao baile.
Tudo foi diferente.
O príncipe virou sapo,
não a cortejou nem a levou ao baile.
Tornou-se a empregada que limpava chão o dia todo.
Nem de seu próprio lar ela foi a rainha.
Pensa nisso tudo, ainda enrodilhada.
Uma lágrima furtiva escapa.
Enxuga rapidamente.
Nem todas nascem para serem princesas.
Cada qual com seu destino, sua história.
Suspira profundamente, espreguiça-se sem vontade,
com o rosto impassível,
onde só os olhos contem uma centelha de vida,
e vai seu dia viver.
Afinal,  uma verdadeira gata borralheira
que se preze tem deveres a cumprir.


Maria Bonfá

7 comentários:

Mila disse...

A vida sempre nos surpreende, fato!
Belo texto!
Bjs
Mila

*Mi§§ §impatia* disse...

Ah amiga as vezes até me dá umas inspirações......mas um dia ainda vou escrever assim, tão lindo e encantador como vc escreve.
Beijos querida.

Phivos Nicolaides disse...

Lindíssimo post. Bjo Grande.

Daniel Savio disse...

Menina, sem desanimo, mas ainda há esperança se lutar pelo seu companheiro (pois principe, não se existe há muito tempo)...

Aproveitando um pouco em casa, espero que te encontrar, ok?

Fique com Deus, menina Maria Bonfá.
Um abraço.

Luciana Klopper disse...

Ah q lindo!

Luciana Klopper disse...

Ah q lindo!

Marilu disse...

Querida amiga, a sempre um princípe encantado a nossa espera, basta saber procurá-lo. Beijocas