terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Doce amor
























Era tanto amor que transbordava em seu peito
que ela não mais resistiu.
Se desmanchou em ternuras...

Ele a reverenciou, e
seus dedos passearam
preguiçosamente por todo seu corpo
tocando a sua alma .

Lânguida deixou-se amar
e o amor se fez numa explosão
de sentimentos.

Ele recostou a cabeça em seu colo
e respirou a doçura que dela exalava
e adormeceram, aninhados nos braços do amor.
Doce amor!

Maria Bonfá
29/01/2013

3 comentários:

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Una verdadera Hermosura de Poema.
Um abraço.

JP disse...

Doce amor....adormece sempre nos mesmos braços.

Beijinho

Maria Dolores Lopez Godoy disse...

Es precioso tu blog y tus palabras. Besitos.

http://redecoratelg.blogspot.com.es/